good-sleep-badsleep

O QUE ACONTECE AO NOSSO CORPO QUANDO DORMIMOS POUCO?

O sono é extremamente necessário para o descanso do corpo e para a sanidade mental de qualquer pessoa. Mas porque é que não damos prioridade à questão do sono e o que acontece realmente ao nosso corpo quando não dormimos o suficiente?

PORQUE DORMIMOS POUCO

Os distúrbios do sono são hoje uma questão importante e algo que deve ser levado a sério. Desligar e adormecer facilmente à noite pode ser um desafio para crianças e adultos. Procuramos desesperadamente a atenção de quem nos rodeia e é suposto estarmos sempre contactáveis. Na nova sociedade que não dorme, as fronteiras entre trabalho e lazer (bem como tudo o que se situa entre esses dois extremos) desapareceram e quem sofre com tudo isto é o sono. Ainda assim, as dificuldades em adormecer também têm outras causas, como por exemplo, o stress, as preocupações, a depressão e as doenças. Ou até mesmo, o choro das crianças, telefones e as buzinas dos automóveis.

AS MUITAS DESVANTAGENS DE DORMIR POUCO

Quando se dorme bem, tanto a pulsação como a pressão arterial e a temperatura corporal diminuem, fazendo com que a respiração seja mais pausada. O corpo relaxa e a tensão muscular diminui. O corpo humano não funciona de forma adequada se não dormir. A curto prazo, a paciência, a concentração e a memória, a capacidade de aprendizagem, os reflexos e a criatividade ficarão comprometidos. 

Se o sono for perturbado sistematicamente durante um longo período de tempo, essa privação do sono pode enfraquecer o sistema imunológico, promover o aumento do peso (o desejo de refeições fora de horas aumenta e o metabolismo enfraquece), a diabetes e a doença cardíaca, a depressão e a síndrome de fadiga. O sistema digestivo também pode ser afectado, provocando inflamações nos intestinos e azia. Também é natural que as dores de cabeça e enxaquecas passem a ser mais frequentes.

QUANTAS HORAS PRECISA DE DORMIR?

A relação clara que se pode estabelecer entre a qualidade do sono e a qualidade de vida depende tanto do sono que este devia ser uma prioridade máxima. A quantidade de sono de que cada pessoa necessita varia e é diferente de pessoa para pessoa, mas é possível estabelecer alguns valores de referência:

0-1 anos: 14-16 horas
1-3 anos: 12-14 horas
3-9 anos: 9-12 horas
9-14 anos: 9-10 horas
14-18 anos: 8-9 horas
18-20 anos: 8 horas
30-60 anos: 7-8 horas
60-70 anos: 6,5-7 horas
>70 anos: 6-6,5 horas